Novo tratamento oral contra o câncer de pulmão é avaliado pela Anvisa

Novo tratamento oral contra o câncer de pulmão é avaliado pela Anvisa

Um recente estudo apresentado na Conferência Mundial de Câncer de Pulmão (WCLC) apontou o surgimento de um novo tratamento oral para o câncer de pulmão de células não pequenas (CPNPC) em fase avançada.

A comprovação da eficácia do tratamento levou a agência reguladora dos Estados Unidos a classificá-lo como terapia inovadora. Enquanto no Brasil, ele já foi submetido à aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), conforme destacou o portal 2A+Farma.

Intitulado de CodeBreaK 100, o estudo é resultado de mais de 40 anos de pesquisa e é o primeiro a trazer evidências clínicas para tratar pacientes que enfrentam uma das mutações mais comuns no câncer, a do gene KRAS.

O CodeBreaK 100 avaliou o uso da molécula sotorasibe em 126 pacientes que apresentavam esse tipo de neoplasia e com uma mutação específica do gene KRAS, a G12C.

Os resultados foram muito positivos. Cerca de 80% dos pacientes conseguiram ter maior controle da doença, sendo três respostas completas e 43 respostas parciais, e a melhor redução mediana do tumor entre todos os participantes (n = 46) foi de 60%.

O estudo clínico de fase 2 ocorreu no mundo todo, inclusive no Brasil e seu desempenho animou a comunidade científica, conforme aponta o médico oncologista e pesquisador do Instituto Nacional do Câncer (INCA), Luiz Henrique Araújo.

“Nós, pesquisadores, estamos extremamente satisfeitos que o estudo demonstrou com sucesso uma resposta. A pesquisa clínica demonstrou que temos em mãos a potencial primeira terapia direcionada aprovada para esses pacientes, que até então eram desassistidos pela ciência”, apontou o médico.

Receba nossas notícias por e-mailCadastre aqui seu endereço eletrônico para receber nossas matérias diariamente

Sobre o estudo
O tratamento consistiu em tratar os pacientes com uma dose diária de 960 mg de sotorasibe, por via oral. Antes de iniciar o tratamento, 81% dos pacientes já haviam progredido tanto com quimioterapia à base de platina quanto com inibidores PD1 / L1, com o restante progredindo após terem recebido uma dessas terapias.

O estudo apontou sobrevida livre de progressão mediana de 6,8 meses em um acompanhamento mediano de mais de um ano em pacientes em estágio avançado da doença.

O tempo mediano para resposta foi de 1,4 meses, ou seja, a maioria dos pacientes tiveram redução confirmada logo no primeiro exame de avaliação.

Com isso, o sotorasibe apresentou um perfil de risco-benefício favorável, sendo a maioria dos eventos adversos relacionados aos tratamentos leves a moderados (grau 1 ou 2). Além disso, não houve morte de qualquer paciente em teste.

Participe também: Grupos de WhatsApp e Telegram para receber notícias farmacêuticas diariamente.

Obrigado por apoiar o jornalismo profissional

A missão da Agência de notícias do ICTQ é levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o universo farmacêutico. O leitor tem acesso ilimitado às reportagens, artigos, fotos, vídeos e áudios publicados e produzidos, de forma independente, pela redação da Instituição. Sua reprodução é permitida, desde que citada a fonte. O ICTQ é o principal responsável pela especialização farmacêutica no Brasil. Muito obrigado por escolher a Instituição para se informar.

Veja mais materias sobre:

Pesquisa Farmacêutica, ANVISA

Atendimento

Atendimento de segunda a quinta-feira das 08:00h às 18:00h e sexta-feira das 08:00h às 17:00h (Exceto Feriados).

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3937-7063

Whatsapp

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 911, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Fale conosco

PÓS-GRADUAÇÃO - TURMAS ABERTAS