Covid-19: vacinação em massa não deve ocorrer em 2021 no Brasil, alerta OMS

Covid-19: vacinação em massa não deve ocorrer em 2021 no Brasil, alerta OMS

A vice-diretora da Organização Munidal da Saúde (OMS), Mariângela Simão, explicou hoje (13/10) quais são as projeções para uma ação de vacinação em massa contra o novo coronavírus (Covid-19) no Brasil em 2021. Segundo ela, essa iniciativa é bastante improvável.

"Não vai ter vacina suficiente no ano que vem para vacinar toda a população, então, o que a OMS está orientando é que haja uma priorização de vacinar profissionais de saúde e pessoas acima de 65 anos ou que tenham alguma doença associada", disse ela, em entrevista à CNN Brasil.

Receba nossas notícias por e-mail: Cadastre aqui seu endereço eletrônico para receber nossas matérias diariamente

Segundo ela, no melhor dos cenários, é "razoável" imaginar que até o final de 2021, "com tudo correndo bem", possa haver "duas ou três vacinas aprovadas contra o novo vírus". "O importante agora não é imunizar todo mundo num país, o que é impossível: é imunizar aqueles que precisam em todos os países", concluiu.

publicidade inserida(https://www.ictq.com.br/pos-graduacao)

Expectativas políticas

Apesar das projeções da OMS, há alguns líderes políticos que estão planejando o início da vacinação em massa para 2021. Esse é o caso do governador de São Paulo, João Doria, que prevê imunizar toda a população do Estado até março de 2021.

Ainda segundo o Doria, a previsão inicial era de imunizar toda a população de São Paulo até fevereiro de 2021, entretanto, esse prazo foi estendido e revelado por ele em coletiva de imprensa em 30 de setembro de 2020.

Já em relação a vacinar grupos, como profissionais de saúde, o governador destacou até uma data prevista para o início da imunização, 15 de dezembro. “Vamos respeitar todos os procedimentos de testagem e de aprovação na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). E aí sim, o início da vacinação em 15 de dezembro, começando pelos profissionais de saúde. Médicos, enfermeiros, paramédicos, aqueles que atuam em hospitais públicos, privados e em todas as unidades de saúde públicas, municipais e estaduais. No Estado de São Paulo, aqueles que atuam nessas unidades serão os primeiros a serem vacinados contra a Covid-19”, declarou ele, em matéria publicada por meio do portal Exame.

Ainda de acordo com a informação, o governo de São Paulo e o laboratório chinês Sinovac, responsável pelo desenvolvimento da vacina em parceria com o Instituto Butantan, assinaram um acordo para a compra de 46 milhões de doses do antígeno para o Estado.

Vale ressaltar que, atualmente, o imunizante está em fase de testes e já foi submetido à análise regulatória da Anvisa.  

Participe também: Grupo de WhatsApp e telegram para receber notícias farmacêuticas diariamente

Obrigado por apoiar o jornalismo profissional

A missão da Agência de notícias do ICTQ é levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o universo farmacêutico. O leitor tem acesso ilimitado às reportagens, artigos, fotos, vídeos e áudios publicados e produzidos, de forma independente, pela redação da Instituição. Sua reprodução é permitida, desde que citada a fonte. O ICTQ é o principal responsável pela especialização farmacêutica no Brasil. Muito obrigado por escolher a Instituição para se informar.

Veja mais materias sobre:

Farmácia Clínica, OMS, Covid-19

Atendimento

Atendimento de segunda a quinta-feira das 08:00h às 18:00h e sexta-feira das 08:00h às 17:00h (Exceto Feriados).

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3937-7063

Whatsapp

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 911, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Fale conosco

PÓS-GRADUAÇÃO - TURMAS ABERTAS