Covid-19: voluntários poderão ser infectados intencionalmente para testar vacinas

Covid-19: voluntários poderão ser infectados intencionalmente para testar vacinas

Um método polêmico tem sido considerado para testar vacinas contra o novo coronavírus (Covid-19) no Reino Unido: expor intencionalmente voluntários ao vírus, em uma iniciativa conhecida como testes de desafio.

A estratégia deverá ser permitida pelo governo britânico a partir de janeiro de 2021, segundo o jornal Financial Times. Esse método de testagem disponibiliza ao voluntário uma vacina experimental e, posteriormente, expõe a pessoa ao vírus, em um ambiente controlado.

Receba nossas notícias por e-mail: Cadastre aqui seu endereço eletrônico para receber nossas matérias diariamente

Nesse sentido, um porta-voz do Departamento de Negócios, Estratégia Empresarial e Industrial do Reino Unido declarou ao portal Gizmodo: “Estamos trabalhando com parceiros para entender como podemos colaborar no desenvolvimento potencial de uma vacina para Covid-19, por meio de estudos de desafio humano”.

publicidade inserida( https://emailmkt.ictq.com.br/anuncie-no-ictq )

Opiniões divididas

O sistema é controverso e divide opiniões, alguns defensores da técnica afirmam que isso pode acelerar o desenvolvimento dos potenciais antígenos contra a Covid-19. Em contrapartida, outros cientistas se preocupem com os riscos potenciais de que a iniciativa possa causar danos à saúde dos voluntários envolvidos.

Para o professor de ética médica da Universidade de Oxford, Dominic Wilkinson, neste momento, em que o mundo passa por “uma ameaça global sem precedentes, como a Covid-19, é um imperativo ético realizar esses estudos controlados para ajudar a desenvolver uma vacina e, então, identificar a melhor das vacinas”.

Ainda de acordo com o Financial Times, esses testes de desafio seriam aplicados em uma instalação utilizada para quarentena em Londres. No entanto, ainda há poucas informações sobre como deverão acontecer, pois, até mesmo o número de voluntários que são esperados na iniciativa ou quantas vacinas serão analisadas são dados incertos. Contudo, sabe-se que algumas companhias farmacêuticas, como a Sanofi e a AstraZeneca, já revelaram que não estarão envolvidas nessa pesquisa.

Empresas interessadas

Por outro lado, outras empresas farmacêuticas se mostraram interessadas em realizar os testes. Na quinta-feira (24/09), a companhia Open Orphan revelou que estava em “negociações avançadas” com o governo do Reino Unido e outros parceiros para dar início a esse experimento. No entanto, ressaltou que “não pode haver certeza que essas discussões levarão a um novo contrato até que as negociações finais sejam concluídas”.

Participe também: Grupo de WhatsApp e telegram para receber notícias farmacêuticas diariamente

Obrigado por apoiar o jornalismo profissional

A missão da Agência de notícias do ICTQ é levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o universo farmacêutico. O leitor tem acesso ilimitado às reportagens, artigos, fotos, vídeos e áudios publicados e produzidos, de forma independente, pela redação da Instituição. Sua reprodução é permitida, desde que citada a fonte. O ICTQ é o principal responsável pela especialização farmacêutica no Brasil. Muito obrigado por escolher a Instituição para se informar.

Veja mais materias sobre:

Farmacêutica, Farmacêutico, Covid-19

Atendimento

Atendimento de segunda a quinta-feira das 08:00h às 18:00h e sexta-feira das 08:00h às 17:00h (Exceto Feriados).

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3937-7063

Whatsapp

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 911, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Fale conosco

PÓS-GRADUAÇÃO - TURMAS ABERTAS