Novos testes confirmam eficácia de dexametasona contra Covid-19

Novos testes confirmam eficácia de dexametasona contra Covid-19

Nesta sexta-feira (17/07), os resultados de um estudo feito por pesquisadores britânicos sobre o medicamento dexametasona foram publicados e confirmaram os benefícios da substância no tratamento de pacientes com Covid-19, que estejam submetidos à ventilação mecânica. Contudo, os testes também revelaram um alerta sobre possíveis danos à saúde das pessoas hospitalizadas, caso a substância seja administrada precocemente.

A pesquisa, publicada no New England Journal of Medicine, avaliou 2.104 pacientes internados, que receberam, diariamente, seis miligramas do medicamento, durante 10 dias. Paralelamente, outras 4.321 pessoas apenas fizeram outro tratamento usual. Ao final da análise, a taxa de mortalidade entre os dois grupos de pacientes submetidos a terapias diferentes foi comparada, depois de 28 dias.

No caso dos pacientes que estavam sob ventilação mecânica e receberam a dexametasona a taxa de óbitos foi de 29,3%, enquanto o outro grupo que recebeu o tratamento usual foi de 41,4%. Nesse sentido, o estudo revela que o medicamento foi responsável por uma redução de 29% da mortalidade daqueles pacientes.

Receba nossas notícias por e-mail: Cadastre aqui seu endereço eletrônico para receber nossas matérias diariamente

Já em pacientes que recebiam oxigênio, mas com poucas terapias invasivas, os benefícios foram reduzidos: 23,3% tratados com dexametasona faleceram, enquanto 26,2% dos que não tomaram a substância também vieram a óbito.

Riscos

Em relação ao alerta, o estudo mostrou que o uso precoce do medicamento pode apresentar riscos, isso porque nenhuma eficácia foi comprovada em um grupo que não precisava receber oxigênio, desde que começou o tratamento.

Nessa situação, 17,4% dos que receberam o medicamento morreram, em comparação aos 14% que não o tomaram a droga, fato que sugeriu aos cientistas que o medicamento aumentou o risco de mortalidade.

publicidade inserida(https://www.ictq.com.br/pos-graduacao)

De acordo com a pesquisa, isso acontece porque a funcionalidade da dexametasona provoca uma resposta imune incomum que pode prejudicar o funcionamento de órgãos vitais, em vez de combater o novo coronavírus.

Em junho de 2020, o cientista Anthony Fauci, fez um alerta sobre o uso precoce da substância no tratamento da Covid-19. "Não teve efeito, senão talvez uma possível piora do quadro desde o início", enfatizou ele à agência AFP.

Ele complementou: "Isso é perfeitamente compreensível com o fato de saber que, no início da infecção, você precisa do sistema imunológico para combater o vírus", ressaltou.

Nesse sentido, os autores do estudo publicado no New England Journal of Medicine destacaram que a eficácia do tratamento com a dexametasona "depende da escolha de uma dose certa, no momento certo, no paciente certo".

Participe também: Grupo de WhatsApp e Telegram para receber notícias farmacêuticas diariamente

Obrigado por apoiar o jornalismo profissional

A missão da Agência de notícias do ICTQ é levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o universo farmacêutico. O leitor tem acesso ilimitado às reportagens, artigos, fotos, vídeos e áudios publicados e produzidos, de forma independente, pela redação da Instituição. Sua reprodução é permitida, desde que citada a fonte. O ICTQ é o principal responsável pela especialização farmacêutica no Brasil. Muito obrigado por escolher a Instituição para se informar.

Veja mais materias sobre:

Medicamentos, Farmácia Clínica, coronavírus

Atendimento

Atendimento de segunda a quinta-feira das 08:00h às 18:00h e sexta-feira das 08:00h às 17:00h (Exceto Feriados).

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3937-7063

Whatsapp

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 911, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Fale conosco

PÓS-GRADUAÇÃO - TURMAS ABERTAS