Brasil tem a maior alta de preços de medicamentos em cinco anos

Brasil tem a maior alta de preços de medicamentos em cinco anos

Reajuste de preços dos medicamentos autorizado pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed) para este ano (10,08%) é o maior desde 2016 e ficou acima da inflação de 2020 (6,10%), revelou o Jornal Nacional. Na lista dos produtos que ficaram mais caros estão antibióticos, anti-inflamatórios, medicamentos para dor e diabetes.

A Cmed aprovou três níveis de reajuste, sendo 10,08%; 8,44%; e 6,79%, que variam conforme a competitividade das marcas no mercado. Com base nesses números, o aumento médio no preço dos medicamentos, neste ano, é de 8,43%. Ou seja, praticamente o dobro de 2020, que correspondeu a 4,22%. Eles estão valendo desde o começo de abril.

Como o reajuste não recai sobre o preço médio dos medicamentos, o aumento pode ser maior e acabar pesando ainda mais no bolso dos brasileiros. Um exemplo calculado pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec): o medicamento para controle da gastrite custa, em média, R$ 21. Mas o preço limite dele é até R$ 87,65. Com o aumento de 10%, pode chegar a R$ 96,41.

A alta do dólar e do preço da matéria-prima e, até mesmo, o comprometimento das linhas de produção são fatores que podem ter contribuído com o reajuste anual dos medicamentos. “Nós sabemos que boa parte dos insumos para fabricação de medicamentos é influenciada pela taxa de câmbio, são cotados em dólar. O encarecimento desses insumos já provocaria, sim, uma revisão mais forte no preço dos medicamentos em 2021”, afirmou ao JN o economista da FGV André Braz.

Receba nossas notícias por e-mail: Cadastre aqui seu endereço eletrônico para receber nossas matérias diariamente

publicidade inserida(https://www.ictq.com.br/pos-graduacao)

Para enfrentar os preços mais altos dos medicamentos, os especialistas recomendam pesquisar as farmácias ou ver as possibilidades de troca por genéricos ou similares. “Acho que uma medida importante para o consumidor adotar, para tentar contornar o problema dos preços elevados, é pesquisar nas farmácias, é nunca ir e aceitar o preço da primeira farmácia. Uma possibilidade, também, é ele se utilizar o programa farmácia popular”, sugere, em entrevista ao JN, a coordenadora do programa de saúde do Idec, Ana Carolina Navarrete.

Visando evitar que o reajuste impacte no tratamento dos pacientes, o farmacêutico e professor da pós-graduação em Farmácia Clínica e Prescrição Farmacêutica no ICTQ – Instituto de Pesquisa e Pós-Graduação para o Mercado Farmacêutico, Rafael Poloni, defende que os farmacêuticos apresentem alternativas de medicamentos ao consumidor, porém, todas devem estar dentro das medidas legais.

“O farmacêutico pode lançar mão de vários aspectos para contribuir com a saúde do paciente. Atualmente, nós temos uma variedade muito grande de marcas de medicamentos, de genéricos e similares, que geralmente são mais baratos que os de referência. Cada farmacêutico, dentro das medidas legais, pode fazer essa substituição, obedecendo à legislação vigente”, diz Poloni.

Participe também: Grupos de WhatsApp e Telegram para receber notícias farmacêuticas diariamente.

Obrigado por apoiar o jornalismo profissional

A missão da Agência de notícias do ICTQ é levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o universo farmacêutico. O leitor tem acesso ilimitado às reportagens, artigos, fotos, vídeos e áudios publicados e produzidos, de forma independente, pela redação da Instituição. Sua reprodução é permitida, desde que citada a fonte. O ICTQ é o principal responsável pela especialização farmacêutica no Brasil. Muito obrigado por escolher a Instituição para se informar.

Veja mais materias sobre:

Farmácia, Drogarias, Medicamentos

Atendimento

Atendimento de segunda a quinta-feira das 08:00h às 18:00h e sexta-feira das 08:00h às 17:00h (Exceto Feriados).

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3937-7063

Whatsapp

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 911, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Fale conosco

PÓS-GRADUAÇÃO - TURMAS ABERTAS