Grupo criminoso desviou R$ 10 milhões do programa Farmácia Popular

Grupo criminoso desviou R$ 10 milhões do programa Farmácia Popular

Hoje (23/09), a polícia federal (PF) deflagrou a Operação Abutre no período da manhã, que visa investigar um grupo criminoso que fraudava o programa Farmácia Popular, do Ministério da Saúde (MS). Segundo informações publicadas no portal G1, ao menos 10 milhões foram desviados pelos criminosos.

Na ação, cerca de 70 policiais federais cumpriram 17 mandados de busca e apreensão. Desse total, 14 foram realizados em Luziânia, no entorno do Distrito Federal, incluindo o sequestro de um imóvel situado em um condomínio de luxo.

Os demais mandados foram realizados em Brasília (DF), Nova Cantu (PR) e Confresa (MT). Apenas em uma residência, a PF já apreendeu mais de R$ 216 mil.

Em nota à imprensa, a PF deu detalhes sobre como os criminosos agiam: “A investigação identificou que o grupo adquiriu fundos de comércio de farmácias, mediante sucessão societária fraudulenta, encerrando, na sequência, as atividades comerciais, promovendo, entretanto, lançamentos inexistentes (vendas efetivamente não efetuadas – dispensação de medicamentos) no banco de dados do Programa Farmácia Popular, a fim de desviar valores vultosos do referido programa federal”.

Receba nossas notícias por e-mail: Cadastre aqui seu endereço eletrônico para receber nossas matérias diariamente

publicidade inserida(https://emailmkt.ictq.com.br/anuncie-no-ictq)

Com isso, ao menos R$ 10 milhões teriam sido desviados dos cofres públicos destinados ao programa, que tem como ideia principal oferecer medicamentos considerados essenciais com preços mais acessíveis à população.

Entre outras medidas que já foram adotadas, além da justiça determinar o sequestro do imóvel localizado em um condomínio de luxo e cumprir os mandados de busca e apreensão, foi autorizado também o bloqueio judicial de contas bancárias que estão em nome dos investigados.  

“A ofensiva visa identificar outras pessoas que teriam envolvimento com a organização criminosa, além de comprovar a destinação dos recursos públicos ilicitamente desviados, seja por meio de transferências para terceiros, aquisição de bens ou incorporação patrimonial em favor dos envolvidos”, afirmou a PF.

Os envolvidos

Até a manhã desta quarta-feira (23/09), nomes dos envolvidos ou dos respectivos comércios não foram divulgados, segundo o G1. Contudo, a operação da PF deve continuar, pois, visa identificar outros suspeitos que tenham envolvimento com esse grupo criminoso.

Participe também: Grupo de WhatsApp e telegram para receber notícias farmacêuticas diariamente

Obrigado por apoiar o jornalismo profissional

A missão da Agência de notícias do ICTQ é levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o universo farmacêutico. O leitor tem acesso ilimitado às reportagens, artigos, fotos, vídeos e áudios publicados e produzidos, de forma independente, pela redação da Instituição. Sua reprodução é permitida, desde que citada a fonte. O ICTQ é o principal responsável pela especialização farmacêutica no Brasil. Muito obrigado por escolher a Instituição para se informar.

Veja mais materias sobre:

Farmacêutico, Farmácia, Drogarias

Atendimento

Atendimento de segunda a quinta-feira das 08:00h às 18:00h e sexta-feira das 08:00h às 17:00h (Exceto Feriados).

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3937-7063

Whatsapp

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 911, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Fale conosco

PÓS-GRADUAÇÃO - TURMAS ABERTAS