Polícia apreende 30 mil placebos que eram vendidos em supermercados como medicamentos

Polícia apreende 30 mil placebos que eram vendidos em supermercados como medicamentos

O Grupo Interinstitucional de Combate aos Crimes Contra a Ordem Tributária (GRINCOT) realizou uma apreensão de placebos que eram vendidos como medicamentos em distribuidoras, na quinta-feira (28/01), em Teresina, Piauí. De acordo com o delegado João José, mais de 30 mil produtos foram confiscados em uma ação.

“Eles eram vendidos tanto em supermercados como em mercearias, dizendo que curam AVC e outras doenças, que servem para emagrecer. Todas falsas promessas”, destacou o delegado, em matéria publicada no G1.

Nesse sentido, o delegado reforçou: “São vários produtos oferecidos à sociedade que não levam a nada, não curam nada. Estão enganando à sociedade, é um crime contra a relação de consumo, que causa muitas vezes até a morte”, afirmou José.  

publicidade inserida(https://sibrafar.com.br/)

Vale reforçar que, como revelou o delegado, além de os medicamentos não terem nenhuma eficácia, eles estavam sendo vendidos de forma ilegal em supermercados e mercearias, contrariando uma regulamentação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), pois, a determinação é que fármacos só podem ser comercializados em farmácias ou drogarias, com a presença de um farmacêutico.

Receba nossas notícias por e-mail: Cadastre aqui seu endereço eletrônico para receber nossas matérias diariamente

Segundo José, os dois laboratórios que fabricavam os produtos, localizados na zona rural daquela cidade, já haviam sido interditados. Inclusive, uma interdição aconteceu por meio da Anvisa, entretanto, ambos violaram essa medida e continuaram produzindo os medicamentos clandestinamente.

Sanções

Ao G1, o delegado disse que fiscalização aos laboratórios em que os fármacos foram fabricados foi reforçada. De acordo com ele, após as investigações os responsáveis poderão ser presos.

Ação do Procon

Além da polícia, o Procon também participou da ação nos laboratórios. Segundo o chefe da entidade daquela região, Arimatea Arêa Leão, a ação de fiscalização teve sucesso.  “Nosso trabalho é garantir a proteção dos consumidores. Hoje conseguimos tirar de circulação quase trinta mil produtos impróprios para uso, um trabalho em conjunto do Procon com outras instituições e quem tem levado resultado à sociedade”, disse ele, em matéria publicada no portal GP1.

Participe também: Grupos de WhatsApp e Telegram para receber notícias farmacêuticas diariamente.

Obrigado por apoiar o jornalismo profissional

A missão da Agência de notícias do ICTQ é levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o universo farmacêutico. O leitor tem acesso ilimitado às reportagens, artigos, fotos, vídeos e áudios publicados e produzidos, de forma independente, pela redação da Instituição. Sua reprodução é permitida, desde que citada a fonte. O ICTQ é o principal responsável pela especialização farmacêutica no Brasil. Muito obrigado por escolher a Instituição para se informar.

Veja mais materias sobre:

Farmacêutica, Farmacêutico, Farmácia

Atendimento

Atendimento de segunda a quinta-feira das 08:00h às 18:00h e sexta-feira das 08:00h às 17:00h (Exceto Feriados).

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3937-7063

Whatsapp

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 911, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Fale conosco

PÓS-GRADUAÇÃO - TURMAS ABERTAS