Estratégia dos farmacêuticos para potencializar resultados dos procedimentos estéticos

Estratégia dos farmacêuticos para potencializar resultados dos procedimentos estéticos

O Brasil está no pódio dos países que mais consomem serviços e produtos estéticos no mundo, e a lista de procedimentos disponíveis só aumenta. São inúmeras as opções, no entanto, a preocupação dos pacientes com os efeitos dos tratamentos tem roubado a cena, colocando o farmacêutico no protagonismo do segmento.

O Conselho Regional de Farmácia (CRF-SP) já ressaltou que para um tratamento estético eficaz é necessário que seja realizada uma avaliação adequada. Para tanto, o farmacêutico deve estar qualificado técnica, científica e profissionalmente para identificar as disfunções estéticas faciais, corporais, capilares e de demais anexos cutâneos, bem como para utilizar as técnicas e recursos terapêuticos previstos na legislação vigente.

A busca pela beleza e bem-estar é constante, e boa parte dos pacientes almeja grandes resultados, às vezes, em curto espaço de tempo. A potencialização dos resultados dos procedimentos estéticos depende de diversos fatores, a começar pela orientação adequada do farmacêutico esteta.

É primordial que seja montado um protocolo individualizado para o paciente. O farmacêutico deve estudar e compreender minuciosamente as necessidades dele, tendo sempre em mente que cada organismo é único, logo, os tratamentos não são os mesmos para todos.

“É essencial realizar uma anamnese completa e adequada do paciente para alinhar as necessidades com as expectativas dele. Ao avaliar um procedimento facial, por exemplo, deve-se atentar a parâmetros básicos como fototipo, grau de flacidez e envelhecimento cutâneo, muscular e ósseo, tipo de disfunção estética que se quer tratar e tecnologias disponíveis no seu consultório que podem te ajudar a tratar o paciente, e deixá-lo satisfeito”, fala o especialista em Farmácia Estética e Análises Clínicas e coordenador da pós-graduação em Farmácia Estética Clínica do ICTQ – Instituto de Pesquisa e Pós-Graduação para o Mercado Farmacêutico, Pedro Sousa.

Além de uma boa anamnese, o professor acredita ser fundamental o profissional ter conhecimento básico de aspectos fisiopatológicos das disfunções estéticas e ter profundo discernimento das tecnologias que ele se dispõe. Um dos pontos diferenciais para o profissional farmacêutico dentro do ambiente clínico da estética é o entendimento sobre manipulação e ativos que podem auxiliar em todos os procedimentos e a avaliação de exames laboratoriais que possibilitam ter condições de realizar melhores diagnósticos estéticos.

A farmacêutica bioquímica e professora de pós-graduação em Estética e Farmacologia, Cristiane Fernandes, reforça o cuidado com a anamnese do paciente, porque, por vezes, a causa do problema não está aparente, ou seja, precisa ser investigada para, então, se chegar ao protocolo que ditará os procedimentos que serão realizados, atendendo às necessidades específicas daquele indivíduo.

“O bom da estética e dessa avaliação, assim como de o farmacêutico entender de fisiologia, de farmacologia, de cosmetologia e de aspectos bioquímicos, é que o profissional conseguirá identificar quais são as reais necessidades de cada um dos pacientes”, reitera Cristiane.

Receba nossas notícias por e-mail: Cadastre aqui seu endereço eletrônico para receber nossas matérias diariamente

Principais procedimentos e suas estratégias

Conforme preconizado nas Resoluções 616/15 e 645/17, entre outras, do Conselho Federal de Farmácia (CFF), nos estabelecimentos de saúde estética é permitido ao farmacêutico realizar as seguintes técnicas de natureza estética e recursos terapêuticos:

  • Avaliação, definição dos procedimentos e estratégias, acompanhamento e evolução estética;
  • Cosmetoterapia;
  • Peelings químicos e mecânicos;
  • Sonoforese (ultrassom estético);
  • Eletroterapia;
  • Iontoforese;
  • Radiofrequência estética;
  • Criolipólise;
  • Luz intensa pulsada;
  • Laserterapia;
  • Carboxiterapia;
  • Agulhamento e microagulhamento estéticos;
  • Toxina botulínica;
  • Preenchimentos dérmicos; e
  • Intradermoterapia/mesoterapia.

Vale destacar que essas técnicas devem ser realizadas pelo farmacêutico esteta com finalidade estritamente estética, vedando-se qualquer outro ato, separado ou em conjunto, que seja considerado pela legislação ou literatura especializada como invasivo cirúrgico.

O professor Sousa, por exemplo, é fascinado por estética facial e por isso tem procurado se especializar, cada vez mais, nessa área, que permite a realização de procedimentos minimamente invasivos. Segundo ele, dessa forma se consegue, com mais eficiência, ajudar os pacientes que procuram o consultório para melhorar a aparência.

“Dentre os procedimentos que eu mais realizo estão a aplicação de toxina botulínica para redução de rugas dinâmicas e arqueamento de sobrancelha; melhora do aspecto de uma das marcas faciais que mais incomodam os pacientes, que é denominado corriqueiramente como ‘bigode chinês’; contorno e hidratação labial; e melhora do aspecto de rugas profundas. Em todos esses processos de harmonização facial é utilizado ácido hialurônico”, conta Sousa.

Ele também faz uso da técnica de intradermoterapia para hidratação profunda, tratamento de manchas, acne e rugas estáticas na pele.

Já no quesito estética corporal, o que mais lhe apetece é a intradermoterapia com bioativos que auxiliam na redução de gordura localizada, popularmente conhecida como ‘lipo enzimática’.

Cristiane conta sobre o tratamento de alopecia, que é a perda de cabelo ou de pelos de outras partes do corpo. Existem vários tipos dessa doença inflamatória – androgênica, aerata, eflúvio telógeno, eflúvio anágeno – e cada um precisa de um cuidado específico, por isso a anamnese tem grande valia.

“Não é somente realizar procedimentos estéticos. Temos que fazer a inibição da enzima 5-alfa redutase. No caso de uma alopecia androgênica, temos que modular o sistema imunológico; no caso de alopecia aerada, temos que fazer uma investigação mais profunda; precisamos identificar se é apenas um eflúvio e ali temos a identificação de carências nutricionais. A partir disso vamos montar uma fórmula que vai realmente atender à necessidade desse paciente e é esse tratamento oral específico, associado a produtos tópicos, que dará suporte necessário ao farmacêutico alcançar resultados mais exitosos em seu paciente”, detalha a professora.

publicidade inserida(https://www.ictq.com.br/pos-graduacao)

 

Prescrição

O farmacêutico está alicerçado pela legislação para prescrever medicamentos ao seu paciente. O Art. 4º da Resolução 586/13, do CFF, relata que o ato da prescrição farmacêutica poderá ocorrer em diferentes estabelecimentos farmacêuticos, consultórios, serviços e níveis de atenção à saúde, desde que respeitado o princípio da confidencialidade e a privacidade do paciente no atendimento.

Além disso, no Art. 5º existe a prerrogativa de que o farmacêutico poderá realizar a prescrição de medicamentos e outros produtos com finalidade terapêutica, cuja dispensação não exija prescrição médica, incluindo medicamentos industrializados e preparações magistrais - alopáticos ou dinamizados -, plantas medicinais, drogas vegetais e outras categorias ou relações de medicamentos que venham a ser aprovadas pelo órgão sanitário federal para prescrição do farmacêutico.

“O farmacêutico esteta pode prescrever toda a linha de dermocosméticos, de cosméticos, fitoterápicos, medicamentos isentos de prescrição (MIP) e essa prescrição é fundamental na potencialização dos resultados do paciente. O paciente precisa ser tratado como um todo, portanto, quanto maior for o conhecimento do profissional sobre farmacologia, mecanismos de ação de diversos ativos que temos disponíveis no mercado, melhor será a sua prescrição, que atenderá aos anseios do paciente. Para o profissional conseguir fazer uma boa prescrição, personalizada, ele precisa estudar e entender bastante da farmacologia, de toda a área da cosmética”, afirma Cristiane.

O professor reforça a necessidade de se compreender o paciente como um todo, em suas diversas vertentes fisiopatológicas que, ao interagirem, dão origem às disfunções estéticas. Nesse aspecto é importante também que o farmacêutico compreenda as estratégias disponíveis para tratar essas disfunções, e quase nunca isso acontece de forma unidirecional, quase sempre são necessárias abordagens múltiplas para alcançar o resultado desejado.

“A possibilidade da prescrição farmacêutica de medicamentos é, sem dúvida, uma das melhores formas de o profissional conseguir alcançar o sucesso terapêutico das disfunções estéticas que aparecerão no seu consultório”, finaliza Souza.

Participe também: Grupos de WhatsApp e Telegram para receber notícias farmacêuticas diariamente.

Obrigado por apoiar o jornalismo profissional

A missão da Agência de notícias do ICTQ é levar informação confiável e relevante para ajudar os leitores a compreender melhor o universo farmacêutico. O leitor tem acesso ilimitado às reportagens, artigos, fotos, vídeos e áudios publicados e produzidos, de forma independente, pela redação da Instituição. Sua reprodução é permitida, desde que citada a fonte. O ICTQ é o principal responsável pela especialização farmacêutica no Brasil. Muito obrigado por escolher a Instituição para se informar.

Veja mais materias sobre:

Farmacêutica, Farmácia, Farmácia Clínica

Atendimento

Atendimento de segunda a quinta-feira das 08:00h às 18:00h e sexta-feira das 08:00h às 17:00h (Exceto Feriados).

Telefones:

  • 0800 602 6660
  • (62) 3937-7056
  • (62) 3937-7063

Whatsapp

Endereço

Escritório administrativo - Goiás

Rua Benjamin Constant, nº 1491, Centro, Anápolis - GO.

CEP: 75.024-020

Escritório administrativo - São Paulo

Rua: Haddock Lobo, n° 131, Sala: 911, Cerqueira César.

CEP: 01414-001 , São Paulo -SP.

Fale conosco

PÓS-GRADUAÇÃO - TURMAS ABERTAS